Planejamento de blogs e sites – Parte III

6/10/2015 Planejamento // análise swot, concorrência, marketing

Na nossa série sobre Planejamento de blogs e sites já falamos sobre seu negócio e público-alvo. Vem cá que hoje o papo é sobre concorrência e diferencial! :)

Investigue a concorrência.

Imagem: BurnAway, em CC-BY-2.0.

Concorrência e Diferencial

Talvez você veja as outras marcas do mesmo nicho que o seu como parceiros em potencial e não como concorrentes – ótimo! Mas uma coisa é ser parceiro, outro é ficar para trás, certo? E para firmar boas parcerias é preciso conhecer o máximo possível sobre a marca, produtos/serviços, marketing e comunicação do outro. Então, sejam parceiros ou concorrentes, você precisa saber sobre as outras marcas que atuam no mesmo nicho que o seu.

 

Identifique a concorrência

Seus principais concorrentes são aqueles que oferecem exatamente os mesmos produtos/serviços que você. Pesquise, identifique-os, você precisa saber o máximo possível sobre eles. Procure saber a história deles, quando e como começaram, como foi a evolução/crescimento deles no decorrer do tempo, faça um breve histórico. Cite todos com nome, link de site e blog e também perfis em redes sociais. Coloque-os em ordem de liderança: o líder do mercado primeiro, o segundo colocado depois e assim por diante.

Concorrentes secundários são aqueles que não são exatamente do seu nicho, mas que também oferecem produtos/serviços do seu nicho. Exemplo: se você tem uma floricultura, o mercadinho do bairro que também vende algumas flores é seu concorrente secundário, mesmo que ele tenha menos quantidade e variedade de flores que você. No caso dos concorrentes secundários o histórico pode ser apenas dos serviços/produtos similares aos seus – ainda usando o exemplo do mercadinho que vende flores, o histórico pode ser restrito apenas às flores e não a toda história do mercadinho.

 

Pontos fortes e fracos

É muito importante verificar os pontos fortes e fracos da concorrência, invista tanto tempo quanto necessário nessa tarefa. Como sempre, seja honesto: se você por algum motivo tem algum sentimento negativo pelo seu concorrente, ainda assim reconheça seus pontos fortes e não aumente os fracos, afinal de contas o que conta não é o que você sente pelo seu concorrente e sim a realidade dele no mercado e como o público-alvo vê os serviços/produtos/atendimento dele.

Se possível, monte uma tabela: uma coluna para cada categoria importante do seu nicho, como atendimento, preço, logística, reputação, etc. À esquerda coloque os concorrentes e vá preenchendo as colunas conforme as características de cada concorrente.

 

Oportunidades e ameaças

Os pontos fortes e fracos se referem ao negócio em si, questões que estão no controle do empreendedor (cada um define sua logística, seu atendimento, etc). Já as oportunidades e ameaças são os pontos que nem você e nem seus concorrentes têm controle: inovações tecnológicas pertinentes aos seus produtos/serviços, legislação (não são vocês que fazem e aprovam as leis para o seu mercado), etc. Até mesmo variações climáticas podem ser oportunidades ou ameaças: produtores de sorvetes artesanais não têm controle sobre o clima, mas se o verão se prolongar é uma oportunidade, enquanto um verão mais curto pode ser uma ameaça.

Aqui não basta apenas listar as oportunidades e ameaças: é essencial analisar como seus concorrentes lidam com as situações que se apresentam. Como eles reagem diante das ameaças? Por exemplo, correm baixar os preços ou investem mais em divulgação? Quando surgem oportunidades inesperadas, eles aproveitam rapidamente ou demoram tanto para agir que perdem o timing? Aqui também vale montar uma tabela nos moldes da anterior.

Se você está se perguntando por quê questões sobre coisas que nem você e seu concorrente podem controlar estão no post sobre concorrência e diferencial, parabéns! Você está atento, está raciocinando ao invés de apenas responder automaticamente os tópicos e exercitando sua capacidade de olhar para o todo, para o big picture. As oportunidades e ameaças estão aqui porque é onde melhor se encaixam dentro de um briefing e são questões que não podem deixar de serem respondidas sob nenhuma hipótese.

Quando você contrata alguém para planejar seu blog, essa pessoa fará um briefing com você e, depois, dentro do planejamento que esse profissional lhe entregar,  deve estar a Análise SWOT. A Análise SWOT é apresentada em uma imagem com quatro quadrantes, sendo que os dois superiores apresentam as forças e fraquezas, enquanto as oportunidades e ameaças ficam nos quadrantes inferiores. São as suas forças e fraquezas que são apresentadas na Análise SWOT e elas são identificadas, entre outras coisas, comparando sua marca com a concorrência. Parte da Análise SWOT vem de questões abordadas quando a concorrência é analisada, portanto faz todo sentido que o restante das informações que completam a análise estejam aqui também.

 

Identifique sua posição e diferenciais

Comparando-se com a concorrência, qual sua posição no seu nicho? Quão distante você está do líder de mercado? Se quiser, monte uma tabela nos moldes da de pontos fortes e fracos dos seus concorrentes, é um exercício muito interessante e pode render ótimos insights.

Lembra que você escreveu a relação custo versus benefício quando sentou para buscar fatos concretos sobre seu negócio? Volte até aquela parte, agora você tem mais clareza e conhecimento para saber identificar, a partir da relação custo x benefício, quais suas vantagens e desvantagens perante a concorrência (se você não foi 100% honesto ao escrever sobre seu negócio, as vantagens e desvantagens serão fantasiosas – neste caso, refaça, afinal você precisa lidar com a realidade).

E seus diferenciais? O que você oferece e seus concorrentes não? Por que o público-alvo escolherá você ao invés da concorrência? O que você faz melhor do que eles? Quanto mais diferenciais conseguir identificar, melhor para o seu negócio. Caso não tenha diferenciais significativos, aí está uma tarefa para o seu marketing: criar mais diferenciais e que eles sejam significativos.

Agora me conta: está gostando da série sobre Planejamento de blogs e sites? Você já sabia que um planejamento depende de tantas informações? Se já fez um planejamento antes, gostou do resultado? Qual sua maior dificuldade em planejar sozinho seu site/blog?

Por

Lis Comunello

Publicitária e Social Media. Curitibana perdida em Floripa, troco o dia pela noite, sou chocólatra e louca por gatos.

Deixe seu comentário:

Tags

Ir ao topo