Monetização requer ética e senso crítico

27/07/2015 Monetização // ética

Dinheiro é bom e todo mundo gosta. Reconhecimento e retorno pelo seu trabalho também. Mas antes de qualquer coisa que eu publique aqui sobre maneiras de monetizar um blog existem alguns pontos que quero lembrar e esclarecer. Vem ver o que você precisa considerar para não colocar as possibilidades de rendimento a perder. :)

Imagem: Pictures of Money, em CC-BY-2.0.

Imagem: Pictures of Money, em CC-BY-2.0.

O que é monetização?

Antes de começar, um esclarecimento para quem ainda não está familiarizado com o termo: monetizar significa, basicamente, transformar/aproveitar algo como fonte de renda. Um blog monetizado, portanto, é um blog que oferece rendimento financeiro. É longa e árdua a estrada a percorrer até um blog consiga trazer retorno financeiro, mas mesmo que você ainda esteja longe de alcançar esse objetivo vale a pena refletir sobre as questões que colocarei a seguir.

 

Reputação não tem preço

Você acompanha determinado blog, confia no blogueiro, portanto acreditou quando ele disse que certo produto ou serviço era bom. Então você contratou o serviço ou comprou o produto e descobriu que não era nada daquilo. Situação no mínimo chata, né? Como confiar novamente nas indicações desse blogueiro? Agora lembre que não você não foi o único a ser enganado – e conclua quantos leitores esse blogueiro vai perder…

Pois bem, não seja você esse blogueiro. Não anuncie nada que você não tenha experimentado e realmente gostado. Sugiro inclusive que, antes de fornecer seu endereço para receber produtos para experimentar e resenhar, faça um acordo com a marca: se você não gostar do produto/serviço, reserve-se o direito de publicar uma crítica negativa ou uma lista de pontos positivos e também os negativos do produto/serviço. Ou pelo menos não publique nada se, no seu ponto de vista, não houver nada favorável a dizer sobre o que você testou.

Isso não é só porque mentir vai prejudicar futuras possibilidades de rendimento. É, principalmente, por respeito aos seus leitores. Você gosta de ser enganado, desrespeitado? Eles também não. Por mais que você esteja precisando de dinheiro, não troque sua reputação e o respeito pelos seus leitores por nada.

 

Coerência com seu nicho

Meu blog é um metablog – teria algum sentido se eu começasse a veicular publicidade de produtos para pets? Quem me lê é porque está interessado em aprender mais sobre mídias sociais, em blogar melhor, em cuidar melhor da sua marca na web, não tem nada a ver com produtos para pets. Se eu gostaria de receber produtos para pets? Sim e meus gatos mais ainda. Mas aqui não seria o lugar, se alguma marca me enviasse algo eu teria que, após minha avaliação sobre a segurança do produto, e depois dos meus gatos provarem e aprovarem, divulgar em alguma outra rede. Eu poderia publicar no Instagram, que é dominado por fotos dos meus bichanos, ou até no meu perfil do Facebook, já que lá tenho contato com muitos gateiros e protetoras, mas aqui no blog jamais.

Antes de colocar qualquer banner, postar um publieditorial, selecionar o que irá divulgar via programa de afiliados ou qualquer outra alternativa de monetização que você tenha pensado, avalie se o produto/serviço é coerente com o nicho do seu blog. Se não tiver nenhuma relação com seu nicho e público, não anuncie.

 

Não exagere

Tem aos montes, então você já deve ter visto: blogs tão cheios de banners, links patrocinados e afins que ler o conteúdo dos posts requer esforço. Você entra no blog e encontra coisas piscando mais que as luzes de uma boate, um horror. Amigo, seu leitor não vai até seu blog para ver anúncio, ele vai para ler seus posts. É muito, muito chato encontrar anúncios a cada dois parágrafos do artigo.

Inclusive a inspiração para esse post veio de um blog que visitei hoje e precisei ficar mandando ocultar a publicidade porque ela ficava cobrindo o texto o tempo todo. O conteúdo era bom, mas existem outros bons blogs do mesmo nicho sem esse incômodo todo, portanto é claro que a preferência é onde dá para ler sem tanta interrupção. Tenha senso crítico, não exagere na publicidade para não afugentar leitores.

 

Valorize-se

Quanto tempo você leva para encontrar imagens que não tenham problemas com Direitos Autorais e que, ao mesmo tempo, conversem com o conteúdo do post? E para escrever um artigo? Só na revisão para finalizar o post você usa pelo menos meia hora. Isso sem contar o tempo necessário para pesquisar sobre as pautas que está escrevendo. O tempo utilizado para ser um blogueiro cada vez melhor é até difícil contabilizar: ler muito e sempre sobre SEO, aprender sobre as leis que se aplicam ao ambiente digital, estudar maneiras de fazer uma divulgação mais eficiente do seu blog, aprimorar cada vez mais a produção de conteúdo, etc.

Ser um bom blogueiro dá muito trabalho e também demanda muito investimento de tempo e dinheiro. Então se valorize, não venda ou alugue espaços do seu blog por trocados que mal pagam um café. Ok, também não dá para querer enriquecer ou pagar todas as suas despesas durante seis meses com um único anúncio ou publieditorial, mas trabalhar a “preço de banana” também não é legal. Pesquise os valores praticados por blogs do mesmo nicho que o seu, veja o mídia kit deles e compare com suas estatísticas para chegar ao valor mais justo possível. Ah, pois é, até para isso você precisa investir um tempo razoável: pesquisar mídia kits e montar o seu.

Agora me conta: você já monetizou algum blog? Como foi a experiência? Quanto tempo levou até que seu blog começasse a trazer retorno financeiro?

Por

Lis Comunello

Publicitária e Social Media. Curitibana perdida em Floripa, troco o dia pela noite, sou chocólatra e louca por gatos.

Deixe seu comentário:

Tags

Ir ao topo